Marketing de Guerrilha

Marketing de Guerrilha é simplesmente pensar como um general do exército para fazer marketing e se destacar no oceano vermelho do seu mercado. Antes de entrar mais a fundo, quero que você saiba que Guerrilha é diferente de Guerra. Veja aqui o significado de guerrilha segundo o dicionário:

guerrilha

substantivo feminino

  1. 1.
    luta armada, empreendida por um movimento revolucionário de índole patriótica ou não, que combate um governo estabelecido ou forças de ocupação com a estratégia de mobilização política da população camponesa e a tática de incursões ofensivas, atos violentos e de surpresa, perpetrados por pequenos grupos ger. recrutados nessa população.

E segundo eu, guerrilha é simplesmente uma guerra pequena. A segunda guerra mundial como o próprio nome já diz foi uma GUERRA. A batalha dos 300 (sim, aquela do filme mesmo) foi uma GUERRILHA. Sacou?

Certo, então guerrilha é uma mini guerra. Mas seu meu concorrente tem um exército gigante de vendedores e eu não, como guerrilhar com ele? Uma das características dos bons guerrilheiros é usar a criatividade para fazer ataques surpresas. No marketing existem diversas formas de fazer isso. Aprenda os princípios de guerrilha e sua empresa nunca mais será  mesma. Os princípios sobre os quais irei escrever aqui, foram retirados do livro Marketing Warfare dos marqueteiros americanos Al Ries e Jack Trout.

Princípio 1 do Marketing de Guerrilha – SEJA UM PEIXE GRANDE EM UM PEQUENO LAGO

Encontre um segmento de mercado pequeno o bastante para defender

o mercado por ser

  • Geograficamente pequeno
  • Ter um volume pequeno

O que realmente importante é que esse segmento de mercado tem que ser pequeno  bastante comparado aos grandes do seu mercado. Porque mercado pequeno demais não compensa para os SA, é aí que os pequenos e médios empresários devem aproveitar a oportunidade,

Estratégia Geográfica

Todo mundo faz anúncios no adwords, mas e no bom e velho restaurante local da sua cidade? Isso que a Rappi fez, pelo menos no início. Aqui na minha cidade eu fui comer um risoto e lá estava uma linda garota distribuindo panfletos da Rappi, um a um. Adivinha quem mais estava distribuindo panfletos naquele lugar? Ninguém.

Princípio 2 do Marketing de Guerrilha – TODOS DEVEM ESTAR NA LINHA DE FRENTE (todo mundo tem que vender)

Não importa o quanto sucesso você alcance, Nunca haja como um líder

Alguns colaboradores da empresa passam meses sem nunca olhar pra cara de um cliente, sem nunca ver um produto da empresa, ou sem nunca ver um vendedor da concorrência pessoalmente.

As guerrilhas devem explorar essa fraqueza levando a mais alta quantidade possível de pessoal para a linha de frente, ou seja, as VENDAS. Todo mundo tem que vender, seja faxineiro ou gerente de rh. As guerrilhas devem resistir a tentação de perder tempo fazendo um site bonito, um logotipo cool, planejamentos e projeções desnecessários. As guerrilhas devem ser somente linha de frente.

Princípio 3 do Marketing de Guerrilha – TESTE RÁPIDO, ERRE RÁPIDO, CAIA FORA RÁPIDO E SIGA EM FRENTE

Um dos pontos fortes das pequenas empresas é a agilidade. Em uma grande corporação como a Coca Cola, se alguém teve a idéia de mudar o rótulo da latinha vermelha, isso precisaria ser discutido pelos acionistas e mais uma caralhada de gente, até a idéia ser aprovada pode demorar semanas. Diferente de uma pequena empresa, que basta um sim do dono, e no outro dia o produto já está no mercado.

Tipos de marketing de guerrilha

Guerrilhas Geográficas

Qualquer produto ou serviço pode ser atacado em nível local. A intenção é reduzir o campo de batalha, para ganhar mais força. Como dito no princípio  1.

Um exemplo disso são as revistas locais. Em São Paulo temos a Veja Sp por exemplo.

Guerrilhas Demográficas

É uma tática que consiste em atrair um segmento específico da população. A revista Forbes Brasil é uma revista que tem como público empresários e empreendedores. A revista Pequenas Empresas & Grandes negócios é uma revista que tem como público empresários e empreendedores. Empresas como a Ambev estão muito distantes da realidade da do pequeno e médio empresário, ler sobre negócios menores faz muito mais sentido para ele, é aí que entra a revista PEGN que aborda assuntos de empresas e startups pequenas que estão começando.

Guerrilhas de indústria

Esse é um exemplo clássico nas empresas de software. Essa tática consiste em fazer marketing de maneira vertical.

O sistema de gestão Salão vip é um exemplo disso. O salão vip é um sistema de gestão para salões de beleza. Ai eu te pergunto o que muda de um sistema de gestão de um salão de beleza para um de barbearia? Em essência nada. Mas a empresa dá uma enfeitada no sistema para ficar a cara do salões de beleza. Assim o sistema de salão de beleza se destaca de um sistema genérico e ganha um grande diferencial na hora de vender.

Guerrilha de produto

A Udemy é um grande marketplace varejista de cursos. Essa empresa é uma grande guerrilheira, ela consegue atacar em diversos micro nichos de mercado.

Na udemy você encontra cursos extremamente específicos a um único assunto como por exemplo:

  • Curso de excel
  • Curso de Photoshop
  • Curso só de adwords

Dessa forma invés do cara ter que desembolsar R$2.000,00 em um curso completo, ele tem a opção de comprar cada coisa de maneira individual e pagar um valor menos, mas não necessariamente mais barato.

Guerrilha na extremidade alta

Aqui a tática é colocar preço alto no produto para criar visibilidade. Você que está lendo esse artigo provavelmente é uma pessoa ligada no mundo do marketing e provavelmente já tomou um anúncio do fórmula de lançamento do Erico Rocha. O fórmula custa R$6.000,00. O custo marginal de um curso online não chega nem a metade desse valor. O valor alto é para chamar a atenção e para parecer um produto de qualidade. Afinal todos temos embutido na nossa cabeça que coisa boa custa caro.

Relógios caros como um Rolex de R$30.000,00 e uma Lamborghini de R$1.000.000,00 apesar de seguirem o mesmo princípio de precificação não são exemplos de Guerrilha na Extremidade alta. O pulo do gato está em produtos de venda constante. Afinal quem pode pagar 30 pal em um relógio?!

Água é um exemplo disso. Uma garrafa de água normal sem gás de custa em média R$1,00. Aí veio a Bonafont cobrando R$2,50. E após a Bonafont vieram marcar como a Voss que cobra R$20,00 por uma garrafa de 330ml.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *